1 Ouve, Senhor, a justa causa; atende ao meu clamor; dá ouvidos à minha oração, que não procede de lábios
enganosos.
2 Venha de ti a minha sentença; atendam os teus olhos à eqüidade.
3 Provas-me o coração, visitas-me de noite; examinas-me e não achas iniqüidade; a minha boca não transgride.
4 Quanto às obras dos homens, pela palavra dos teus lábios eu me tenho guardado dos caminhos do homem
violento.
5 Os meus passos apegaram-se às tuas veredas, não resvalaram os meus pés.
6 A ti, ó Deus, eu clamo, pois tu me ouvirás; inclina para mim os teus ouvidos, e ouve as minhas palavras.
7 Faze maravilhosas as tuas beneficências, ó Salvador dos que à tua destra se refugiam daqueles que se levantam
contra eles.
8 Guarda-me como à menina do olho; esconde-me, à sombra das tuas asas,
9 dos ímpios que me despojam, dos meus inimigos mortais que me cercam.
10 Eles fecham o seu coração; com a boca falam soberbamente.
11 Andam agora rodeando os meus passos; fixam em mim os seus olhos para me derrubarem por terra.
12 Parecem-se com o leão que deseja arrebatar a sua presa, e com o leãozinho que espreita em esconderijos.
13 Levanta-te, Senhor, detém-nos, derruba-os; livra-me dos ímpios, pela tua espada,
14 dos homens, pela tua mão, Senhor, dos homens do mundo, cujo quinhão está nesta vida. Enche-lhes o ventre da
tua ira entesourada. Fartem-se dela os seus filhos, e dêem ainda os sobejos por herança aos seus pequeninos.
15 Quanto a mim, em retidão contemplarei a tua face; eu me satisfarei com a tua semelhança quando acordar.


Bem-aventurados os retos em seus caminhos, que andam na lei do SENHOR.
Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e que o buscam com todo o coração.
E não praticam iniqüidade, mas andam nos seus caminhos.
Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos.
Quem dera que os meus caminhos fossem dirigidos a observar os teus mandamentos.
Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos.
Louvar-te-ei com retidão de coração quando tiver aprendido os teus justos juízos.
Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente.
Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.
Com todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos.
Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.
Bendito és tu, ó SENHOR; ensina-me os teus estatutos.
Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca.
Folguei tanto no caminho dos teus testemunhos, como em todas as riquezas.
Meditarei nos teus preceitos, e terei respeito aos teus caminhos.
Recrear-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.
Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra.
Abre tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei.
Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.
A minha alma está quebrantada de desejar os teus juízos em todo o tempo.
Tu repreendeste asperamente os soberbos que são amaldiçoados, que se desviam dos teus mandamentos.
Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois guardei os teus testemunhos.
Príncipes também se assentaram, e falaram contra mim, mas o teu servo meditou nos teus estatutos.
Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.
A minha alma está pegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.
Eu te contei os meus caminhos, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.
Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim falarei das tuas maravilhas.
A minha alma consome-se de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.
Desvia de mim o caminho da falsidade, e concede-me piedosamente a tua lei.
Escolhi o caminho da verdade; propus-me seguir os teus juízos.
Apego-me aos teus testemunhos; ó SENHOR, não me confundas.
Correrei pelo caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.
Ensina-me, ó SENHOR, o caminho dos teus estatutos, e guardá-lo-ei até o fim.
Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei, e observá-la-ei de todo o meu coração.
Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela tenho prazer.
Inclina o meu coração aos teus testemunhos, e não à cobiça.
Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.
Confirma a tua palavra ao teu servo, que é dedicado ao teu temor.
Desvia de mim o opróbrio que temo, pois os teus juízos são bons.
Eis que tenho desejado os teus preceitos; vivifica-me na tua justiça.
Venham sobre mim também as tuas misericórdias, ó SENHOR, e a tua salvação segundo a tua palavra.
Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.
E não tires totalmente a palavra de verdade da minha boca, pois tenho esperado nos teus juízos.
Assim observarei de continuo a tua lei para sempre e eternamente.
E andarei em liberdade; pois busco os teus preceitos.
Também falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.
E recrear-me-ei em teus mandamentos, que tenho amado.
Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amei, e meditarei nos teus estatutos.
Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.
Isto é a minha consolação na minha aflição, porque a tua palavra me vivificou.
Os soberbos zombaram grandemente de mim; contudo não me desviei da tua lei.
Lembrei-me dos teus juízos antiqüíssimos, ó SENHOR, e assim me consolei.
Grande indignação se apoderou de mim por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.
Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.
Lembrei-me do teu nome, ó SENHOR, de noite, e observei a tua lei.
Isto fiz eu, porque guardei os teus mandamentos.
O SENHOR é a minha porção; eu disse que observaria as tuas palavras.
Roguei deveras o teu favor com todo o meu coração; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.
Considerei os meus caminhos, e voltei os meus pés para os teus testemunhos.
Apressei-me, e não me detive, a observar os teus mandamentos.
Bandos de ímpios me despojaram, mas eu não me esqueci da tua lei.
Å meia noite me levantarei para te louvar, pelos teus justos juízos.
Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos.
A terra, ó SENHOR, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.
Fizeste bem ao teu servo, SENHOR, segundo a tua palavra.
Ensina-me bom juízo e ciência, pois cri nos teus mandamentos.
Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra.
Tu és bom e fazes bem; ensina-me os teus estatutos.
Os soberbos forjaram mentiras contra mim; mas eu com todo o meu coração guardarei os teus preceitos.
Engrossa-se-lhes o coração como gordura, mas eu me recreio na tua lei.
Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.
Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro ou prata.
As tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me inteligência para entender os teus mandamentos.
Os que te temem alegraram-se quando me viram, porque tenho esperado na tua palavra.
Bem sei eu, ó SENHOR, que os teus juízos são justos, e que segundo a tua fidelidade me afligiste.
Sirva pois a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.
Venham sobre mim as tuas misericórdias, para que viva, pois a tua lei é a minha delícia.
Confundam-se os soberbos, pois me trataram duma maneira perversa, sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.
Voltem-se para mim os que te temem, e aqueles que têm conhecido os teus testemunhos.
Seja reto o meu coração nos teus estatutos, para que não seja confundido.
Desfalece a minha alma pela tua salvação, mas espero na tua palavra.
Os meus olhos desfalecem pela tua palavra; entrementes dizia: Quando me consolarás tu?
Pois estou como odre na fumaça; contudo não me esqueço dos teus estatutos.
Quantos serão os dias do teu servo? Quando me farás justiça contra os que me perseguem?
Os soberbos me cavaram covas, o que não é conforme a tua lei.
Todos os teus mandamentos são verdade. Com mentiras me perseguem; ajuda-me.
Quase que me têm consumido sobre a terra, mas eu não deixei os teus preceitos.
Vivifica-me segundo a tua benignidade; assim guardarei o testemunho da tua boca.
Para sempre, ó SENHOR, a tua palavra permanece no céu.
A tua fidelidade dura de geração em geração; tu firmaste a terra, e ela permanece firme.
Eles continuam até ao dia de hoje, segundo as tuas ordenações; porque todos são teus servos.
Se a tua lei não fora toda a minha recreação, há muito que pereceria na minha aflição.
Nunca me esquecerei dos teus preceitos; pois por eles me tens vivificado.
Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.
Os ímpios me esperam para me destruírem, mas eu considerarei os teus testemunhos.
Tenho visto fim a toda a perfeição, mas o teu mandamento é amplíssimo.
Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia.
Tu, pelos teus mandamentos, me fazes mais sábio do que os meus inimigos; pois estão sempre comigo.
Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.
Entendo mais do que os antigos; porque guardo os teus preceitos.
Desviei os meus pés de todo caminho mau, para guardar a tua palavra.
Não me apartei dos teus juízos, pois tu me ensinaste.
Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar, mais doces do que o mel à minha boca.
Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; por isso odeio todo falso caminho.
Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.
Jurei, e o cumprirei, que guardarei os teus justos juízos.
Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó SENHOR, segundo a tua palavra.
Aceita, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, ó SENHOR; ensina-me os teus juízos.
A minha alma está de contínuo nas minhas mãos; todavia não me esqueço da tua lei.
Os ímpios me armaram laço; contudo não me desviei dos teus preceitos.
Os teus testemunhos tenho eu tomado por herança para sempre, pois são o gozo do meu coração.
Inclinei o meu coração a guardar os teus estatutos, para sempre, até ao fim.
Odeio os pensamentos vãos, mas amo a tua lei.
Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.
Apartai-vos de mim, malfeitores, pois guardarei os mandamentos do meu Deus.
Sustenta-me conforme a tua palavra, para que viva, e não me deixes envergonhado da minha esperança.
Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos teus estatutos.
Tu tens pisado aos pés todos os que se desviam dos teus estatutos, pois o engano deles é falsidade.
Tu tiraste da terra todos os ímpios, como a escória, por isso amo os teus testemunhos.
O meu corpo se arrepiou com temor de ti, e temi os teus juízos.
Fiz juízo e justiça; não me entregues aos meus opressores.
Fica por fiador do teu servo para o bem; não deixes que os soberbos me oprimam.
Os meus olhos desfaleceram pela tua salvação e pela promessa da tua justiça.
Usa com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos.
Sou teu servo; dá-me inteligência, para entender os teus testemunhos.
Já é tempo de operares, ó SENHOR, pois eles têm quebrantado a tua lei.
Por isso amo os teus mandamentos mais do que o ouro, e ainda mais do que o ouro fino.
Por isso estimo todos os teus preceitos acerca de tudo, como retos, e odeio toda falsa vereda.
Maravilhosos são os teus testemunhos; portanto, a minha alma os guarda.
A entrada das tuas palavras dá luz, dá entendimento aos símplices.
Abri a minha boca, e respirei, pois que desejei os teus mandamentos.
Olha para mim, e tem piedade de mim, conforme usas com os que amam o teu nome.
Ordena os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniqüidade alguma.
Livra-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos.
Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.
Rios de águas correm dos meus olhos, porque não guardam a tua lei.
Justo és, ó SENHOR, e retos são os teus juízos.
Os teus testemunhos que ordenaste são retos e muito fiéis.
O meu zelo me consumiu, porque os meus inimigos se esqueceram da tua palavra.
A tua palavra é muito pura; portanto, o teu servo a ama.
Pequeno sou e desprezado, porém não me esqueço dos teus mandamentos.
A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade.
Aflição e angústia se apoderam de mim; contudo os teus mandamentos são o meu prazer.
A justiça dos teus testemunhos é eterna; dá-me inteligência, e viverei.
Clamei de todo o meu coração; escuta-me, SENHOR, e guardarei os teus estatutos.
A ti te invoquei; salva-me, e guardarei os teus testemunhos.
Antecipei o cair da noite, e clamei; esperei na tua palavra.
Os meus olhos anteciparam as vigílias da noite, para meditar na tua palavra.
Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó SENHOR, segundo o teu juízo.
Aproximam-se os que se dão a maus tratos; afastam-se da tua lei.
Tu estás perto, ó SENHOR, e todos os teus mandamentos são a verdade.
Acerca dos teus testemunhos soube, desde a antiguidade, que tu os fundaste para sempre.
Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueci da tua lei.
Pleiteia a minha causa, e livra-me; vivifica-me segundo a tua palavra.
A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos.
Muitas são, ó SENHOR, as tuas misericórdias; vivifica-me segundo os teus juízos.
Muitos são os meus perseguidores e os meus inimigos; mas não me desvio dos teus testemunhos.
Vi os transgressores, e me afligi, porque não observam a tua palavra.
Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, ó SENHOR, segundo a tua benignidade.
A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre.
Príncipes me perseguiram sem causa, mas o meu coração temeu a tua palavra.
Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo.
Abomino e odeio a mentira; mas amo a tua lei.
Sete vezes no dia te louvo pelos juízos da tua justiça.
Muita paz têm os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço.
SENHOR, tenho esperado na tua salvação, e tenho cumprido os teus mandamentos.
A minha alma tem observado os teus testemunhos; amo-os excessivamente.
Tenho observado os teus preceitos, e os teus testemunhos, porque todos os meus caminhos estão diante de ti.
Chegue a ti o meu clamor, ó SENHOR; dá-me entendimento conforme a tua palavra.
Chegue a minha súplica perante a tua face; livra-me segundo a tua palavra.
Os meus lábios proferiram o louvor, quando me ensinaste os teus estatutos.
A minha língua falará da tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justiça.
Venha a tua mão socorrer-me, pois escolhi os teus preceitos.
Tenho desejado a tua salvação, ó SENHOR; a tua lei é todo o meu prazer.
Viva a minha alma, e louvar-te-á; ajudem-me os teus juízos.
Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueci dos teus mandamentos.


A Assembleia de Deus, uma denominação pentecostal, informou que o número de seus fiéis nos Estados Unidos cresceu em 2010 quatro vezes mais do que a população do país. Com expansão de 2,5%, o total de fiéis chegou a 3.030.944. Trata-se da maior taxa desde 1983.

O avanço se deve sobretudo às conversões de minorias étnicas, que atualmente correspondem a 38% do total de fiéis.

Relatório da Assembleia de Deus mostra que houve mais batismo de água e do espírito e uma queda de 4% na frequência dos cultos de domingo à noite.

Wood George, o responsável pela denominação, acredita que a AD continuará se expandindo nos próximos anos. “Estamos vivendo um momento histórico.”

A maior Assembleia de Deus do mundo é disparadamente a do Brasil., onde neste ano comemora o seu centenário. Pelo levantamento de 2009, estava com 22,5 milhões de fiéis. Naquele ano, a Coreia do Sul estava em segundo lugar, com 3,1 milhões, e os Estados Unidos em terceiro, com 2,9 milhões.

Em todo o mundo, tem mais de 65 milhões de devotos.

Com informação do site da Assembleia de Deus, entre outros.


O jogador Neymar da Silva Santos Júnior (foto), 18, paga por mês R$ 40 mil de dízimo, ou seja, 10% de R$ 400 mil. Essa quantia é a soma de seu salário de R$ 150 mil nos Santos com os patrocínios.

O dinheiro do jogador é administrado pelo seu pai e empresário, que lhe dá R$ 5 mil por mês para gastos em geral.

O pai do jogador, que também se chama Neymar, lembrou que o primeiro salário do filho foi de R$ 450. Desse total, R$ 45 foram para a Igreja Batista Peniel, de São Vicente, no litoral paulista, que a família frequenta há anos.

Neymar, o pai, disse que não deixa muito dinheiro com o filho para impedi-lo de se tornar consumista.

“Cinco mil ainda acho muito, porque o Juninho não precisa comprar nada. Ele tem contrato com a Nike, ganha roupas, tudo. Parece um polvo, tem mais de 50 pares de sapatos”, disse o pai a Debora Bergamasco, do Estadão.

O pai contou que Neymar teve rápida ascensão salarial e que ele, o filho, nunca deixou de pagar o dízimo.

“Quando ele passou a ganhar R$ 800, tá bom, doa R$ 80. Só que Deus começa a te provar, né? Aí pegamos R$ 400 mil. Caramba, meu, como vamos ‘dizimar’ R$ 40 mil? É um carro! Mas daí você pensa que Deus foi fiel. Pum, dá R$ 40 mil! Mas daí vieram ‘catapatapum’ reais. Meu Deus, não quero nem saber, ‘dizima’ logo isso! (risos).”

Às vezes, “Juninho” se dá algum presente cujo valor vai muito além da quantia que o seu pai lhe libera por mês.

Recentemente, o jogador comprou um carro Volvo por R$ 140 mil. E já fala em ter um Ferrari ou um Porsche. Ou ambos.

CHELSEA - atualização em 19 de agosto de 2010

Neymar cedeu à pressão da torcida, do técnico Mano (da Seleção Brasileira), entre outros, e desistiu de ir para o Chelsea pelo até o fim de 2001. Ia ganhar por ano 4 milhões de euros, o equivalente a R$ 9 milhões. O time inglês já tinha concordado em pagar uma multa de R$ 79 milhões ao Santos pelo rompimento do contrato do jogador.

No Santos, Neymar vai ganhar mais, mas não tanto como seria no Chelsea. Ficou acertado que, além dos R$ 160 mil por mês, o jogador terá maior participação em rendimentos de marketing. Além disso, ele receberá aumento toda vez que for conquistada uma meta, como obtenção de título e convocação para a Seleção.

Se dependesse de Neymar da Silva Santos, pai do jogador, e de Wagner Ribeiro, o empresário, Neymar iria para a Inglaterra. Os dois temem que não haja uma nova proposta tão boa. Para a turma do 'fica', o jogador de 18 anos ainda não está amadurecido para jogar fora do país.

O pastor da igreja de Neymar deve ter ficado satisfeito: a permanência do jogador no Brasil é uma garantia de que continuará sendo pago todo mês, agora com o valor aumentado.

Com informação da Agência Estado.

Fonte: http://www.paulopes.com.br/2010/04/neymar-paga-por-mes-r-40-mil-de-dizimo.html


A Assembleia de Deus ratificou uma resolução de 12 anos atrás que orienta os fiéis como se comportar e o que vestir de modo a não incorrer na “indecência”, o que é, no entender dos evangélicos, como se sabe, um dos caprichos do Satanás. 

A decisão saiu da 40ª CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil), realizada em abril em Cuiabá (Mato Grosso). Houve uma discussão acalorada. Os conservadores defenderam normas mais rígidas, sobretudo para as irmãs, e os liberais pediram algumas liberações, com o uso de bermuda, que é uma das reivindicações dos fiéis mais jovens. Por fim, houve um acordo para se manter a resolução de 1999.

O Mensageiro da Paz, publicação oficial da Assembleia de Deus, divulgou as principais orientações da resolução, cada uma delas com a menção do trecho da Bíblia que lhe deu origem e respaldo.

Assim, as igrejas têm de se abster de:

1 – Ter os homens cabelos crescidos, bem como fazer cortes extravagantes, bem como o uso de brincos.

Para a AD, tal proibição está expressa em 1 Coríntios 11.14-15: “Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o varão ter cabelo crescido? Mas ter a mulher cabelo crescido lhe foi dado em lugar de véu”.

2 – Mulheres que usem roupas que são peculiares aos homens e vestimentas indecentes e indecorosas, ou sem modéstias.

Os pastores evocaram, nesse caso, 1 Timóteo 2.9,10: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas com boas obras”.

3 – Uso exagerado de pintura e maquiagem – unhas, tatuagens e cabelos.

Tais restrições estão em dois trechos da Bíblia – sempre de acordo com a interpretação dos pastores. Um dos trechos é o Lv 19.28,2: "Não façam cortes no corpo por causados mortos, nem tatuagens em si mesmos.".

4 – “Uso de cabelos curtos em detrimento da recomendação bíblica.”

Trata-se de uma referência a 1 Coríntios 11.6, 15, que diz: (6) Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu. (7) O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem. (8) Porque o homem não provém da mulher, mas a mulher do homem. (9) Porque também o homem não foi criado por causa da mulher, mas a mulher por causa do homem. (10) Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos. (11) Todavia, nem o homem é sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor. (12) Porque, como a mulher provém do homem, assim também o homem provém da mulher, mas tudo vem de Deus. (13) Julgai entre vós mesmos: é decente que a mulher ore a Deus descoberta? (14) Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido? (15) Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu.

5 - Mau uso dos meios de comunicação: televisão, internet, rádio, telefone.

Essa orientação foi extraída de dois trechos, o 1 Coríntios 6.12 (“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.”) e o Fp. 4.8 (Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.)

A resolução diz que caberá aos pastores indicar aos fiéis sobre o que podem ver na TV. Alguns deles simplesmente proíbem a compra de aparelho de televisão.

6. Uso de bebidas alcoólicas e embriagantes (Pv 20.1; 26.31; 1, Co 6.10; Ef. 5.18).

Esse último, por exemplo, diz: “Não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito.”

Na ratificação da resolução, houve pelo menos uma sutil modificação, mas que faz diferença quanto o uso de pintura e maquiagem e à utilização dos meios de comunicação. A palavra “proibição” foi substituída por “recomendação”.

A Assembleia de Deus tem mais de 22 milhões de seguidores no Brasil. Trata-se, a rigor, de um conglomerado de “religiões” que rumam no mesmo sentido, mas com uma razoável independência umas em relações às outras.

Isso significa, entre outras coisas, que as decisões da Convenção Geral como estas de  usos e costumes sejam adotadas com muita flexibilidade, até por causa de suas contradições.

Algumas dessas contradições desmoralizam os guardiões da moralidade dos fiéis, como, por exemplo, a proibição por alguns templos aos fiéis de não possuírem TV, embora pastores da mesma denominação tenham programas de televisão. Ou ainda o veto ao uso de calça cumprida na escola, mas não no ambiente de trabalho. Todas as igrejas proíbem o uso de barba, mas algumas delas liberam o bigode.

O que perpassa toda resolução é o puritanismo condenatório da sensualidade, sobretudo e quase exclusivamente da mulher. Mulher não pode usar roupa que delineia o seu corpo de mulher. Porque, se assim fizer, ela terá de assumir a responsabilidade pelo pecado não só de sua ousadia, mas também pelo desejo dos outros. 
É a negação do feminino, o que leva à velha questão da sexualidade mal resolvida dos puritanos.


Associação Brasileira de Música e Artes reconheceu que a cantora piauiense Marinalva Santos (foto), 39, é autora da “Noites Traiçoeiras” gravada em 2008 pelo padre Marcelo Rossi, 44. A partir de agora, os direitos autorais da música passam a ser oficialmente dela, que é fiel da Assembleia de Deus.

Marinalva conseguiu provar que a música é sua graças a um CD que tinha gravado em 2001. Nesse mesmo ano o cantor acreano Marcelo Leite também fez uma gravação com a autorização dela. A evangélica disse ter composto a música em 1999 em parceira com Vânia Nunes sob a inspiração de um salmo. O nome que  deu à música foi “Deus te quer sorrindo”.

O padre negou que tivesse se apropriado da música, a qual, disse, ele tinha comprado de um compositor cujo nome não revelou. “Noites Traiçoeiras” foi gravada como sendo de sua autoria e do padre Reginaldo Manzotti.

Marinalva e o pastor Francisco Felipe Cordeiro, seu marido, estavam reivindicando a autoria da música por intermédio da associação. Ela informou ter recebido do padre uma proposta de pagamento, mas recusou, preferindo manter a reivindicação pelos direitos autorais.

Não há informação sobre quanto a evangélica pretende receber do padre. "Nós vamos conversar com ele", disse o pastor Cordeiro. Ele falou que, se preciso, recorrerá à Justiça contra o padre e a pessoa que vendeu a música.

Padre Marcelo vendeu mais de um milhão de cópias de “Noites Traiçoeiras”.




Difícil tergiversar sobre tamanha cidadania já que muitos não a admitem. Se exercer uma cidadania terrena, da cidade mesmo, é um tanto quanto difícil, imagine então quando essa cidadania implica trazer para o mundo real as novidades eternas difundidas pelo Evangelho! Para tanto, requer de nossa parte uma intensa dedicação ao Reino de Deus, uma vez que o projeto de uma cidade dos céus estaria sendo relegado por muitos: O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros se empenhariam por mim, para que não fosse eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui” (Jo 18.36). Apesar de uma realidade de rejeição ao exercício de uma cidadania celeste, o anúncio e o testemunho das palavras e dos atos do Senhor se fazem pertinentes por causa da escassez de um poder espiritual no mundo contingente. O mundo sente cada vez mais a ausência de Deus! Quanto mais os cidadãos do mundo, os cosmopolitas como diria Sócrates, rejeitam uma cidadania diferente, de um Reino dos céus, mais e mais se faz urgente a Palavra do Senhor que diz:(...) o Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no Evangelho”(Mc 1. 15).
É muito próprio do cidadão comum cumprir suas obrigações, obedecer às leis, participar do governo de uma cidade, como também exigir a garantia de seus direitos à Educação, à Saúde, à Liberdade, de modo que venha a sentir-se incluído no meio social de crescimento e realização pessoal, mas nada disso lhe garante a salvação. Do contrário, há de se perceber uma insaciável busca do cidadão por valores imperecíveis, eternos, isto é, embora tenha um exercício de cidadania razoável para viver, o cidadão em algum momento é capaz de se dar conta da sua insatisfação, onde a procura pela verdadeira vida, por milagres e sinais dos céus são muito latentes. Lembrem-se da pergunta dramática do jovem rico: “Senhor, que devo fazer para alcançar a vida eterna?”(Cf. Mt 19.16-22)
Enquanto Jesus veio para os seus, mas os seus não o conheceram, conforme está dito logo no início do Evangelho de João, viraram-lhe as costas, o mataram, o eliminaram, porém não foram muito longe, não conseguiram viver baseados apenas nas forças deste mundo porque viram que todas as coisas passam, os reinos passam, a soberania e a soberba temporais passam, as perseguições e injustiças também passam, mas as palavras do Senhor não passam e permanecem ecoando aos ouvidos dos cidadãos do mundo. Viram ainda que estavam errados quanto aos feitos maravilhosos do Senhor direcionados para a salvação da humanidade. A intenção de Jesus, obediente ao Pai, era impregnar nos corações humanos a realização de todas as promessas eternas, de felicidade e bonança tais que o mundo inteiro não podia conter. Sedentos de paz definitiva, de amor verdadeiro, de alegrias eternas, de comunhão com os céus, os cidadãos do mundo preferiram aceitar a morte à vida.
A verdade é dura, mas é verdade. Permitam o trocadilho. Não somos deste mundo, apenas passamos por ele. Somos peregrinos por aqui. Na verdade, somos passantes, migrando por aqui e por ali, sem pátria, mais nômades do que nunca, forasteiros, pois nossa terra é o céu, nossa pátria é o céu. O mundo não nos pertence, tampouco pertencemos a ele. Ora, se aqui, apesar de tudo, é tão bom, como não será o céu! Se os frutos da terra são tão bons, como não serão os galardões do céu! Os frutos do Espírito são: “o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão, o domínio próprio” (Gálatas 5.22).
Nossa cidadania comum está muito aquém da cidadania celestial, pois o reino celestial não é como os reinos deste mundo, ser cidadão do mundo não é o mesmo que ser cidadão do céu. Ser cidadão do céu implica estar submetido ao governo de Deus que está em nosso coração e em nossa consciência, norteando nossa vida. Agora, antes de receber o título de cidadão do céu, é necessário reconhecer-se pecador, aceitar o Senhor como seu salvador, e sobretudo, renascer pela água e pelo espírito, mudar de vida pela Palavra de Deus, ouvindo a voz de Deus: “A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus...Em verdade, em verdade te digo: Quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus” (Jo 3.3,5). “Tendo purificado a vossa alma pela vossa obediência à verdade, tendo em vista o amor fraternal não fingido, amai-vos, de coração uns aos outros ardentemente, pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente” (1Ped 1.22-23).
Portanto, é fato. Não somos daqui. Como transeuntes pelo mundo, mais nos damos conta de que marchamos para os céus, haja vista que esta vida não se basta nela mesma, mas se completa com a vida eterna. “(...)Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos; Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado. (...)Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido”(1Cor 13. 9-12). Atribui-se a Sócrates o dito de que "Não sou nem ateniense, nem grego, mas sim um cidadão do mundo". Completaríamos o legado oral assim: “Não sou nem ateniense, nem grego, nem cidadão do mundo, mas sim um cidadão do céu”.

Prof. Jackislandy Meira de Medeiros Silva
Bacharel em Teologia, Licenciado em Filosofia e Especialista em Metafísica
Páginas na net:



Postagens populares

Atividade no facebook

Categorias

Deus (36) Bíblia (26) Filosofia (26) Jesus (25) Cultura (16) Teologia (16) sociologia (15) Religião (11) vida (11) Cristo (10) Educação (10) política (10) ética (10) Senhor (9) evangelho (9) (8) valores (8) Igreja (6) amor (6) florânia (6) justiça (6) oração (6) salvação (6) louvor (5) paz (5) cristão (4) esperança (4) evangelização (4) graça (4) palavra (4) Espírito (3) alegrias (3) alteridade (3) cidadania (3) culto (3) espiritualidade (3) glória (3) literatura (3) música (3) responsabilidade (3) Aristóteles (2) Lévinas (2) Moisés (2) Paulo (2) Platão (2) Pr. Silas (2) Tv (2) bom (2) comunhão (2) coração (2) criador (2) céu (2) encontro (2) felicidade (2) história (2) ideologia (2) jovens (2) mocidade (2) mundo (2) natureza (2) poder (2) político (2) rosto (2) sociedade (2) solidariedade (2) templo (2) trabalho (2) verdade (2) voz (2) Aurélio (1) Boaz (1) Chile (1) Dalila (1) Davi (1) Drummond (1) Escritura (1) Faraó (1) Habacuc (1) Haiti (1) Heidegger (1) Jaboque (1) Jacó (1) Jerusalém (1) Jonas (1) José (1) Juízes (1) Kant (1) Lutero (1) Mircea (1) Misericórdia (1) Médico (1) Nietzsche (1) Perdão (1) Record (1) Reino (1) Rute (1) Sansão (1) Trindade (1) administração (1) adorador (1) alma (1) altíssimo (1) amizades (1) anjo (1) centenário (1) cidadão (1) conversão (1) corrupção (1) crente (1) criança (1) cruz (1) cruzada (1) denominação (1) desabrigados (1) dissimulação (1) drogas (1) dízimo (1) escudo (1) exaltar (1) família (1) favor (1) fogo (1) fome (1) futebol (1) gestão (1) gratuita (1) homem (1) impunidade (1) individual (1) inteligência (1) jornalismo (1) lugar (1) luta (1) luz (1) mina (1) mineiros (1) mistério (1) mito (1) ordem (1) outro (1) participação (1) pecado (1) pedofilia (1) pedra liza (1) perseverança (1) presença (1) promessa (1) próximo (1) pão (1) quebrantado (1) razão (1) reflexão (1) rios (1) salmo (1) salvador (1) saúde (1) ser (1) serenidade (1) sexo (1) sim (1) subjetividade (1) sucos (1) uvas (1) vaidade (1) violência (1) vitória (1) água (1)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ao mencionar qualquer material deste blog, favor citar o autor Jackislandy Meira de Medeiros Silva. Tecnologia do Blogger.