Deus se distingue do mundo, não se confunde com o mundo. O panteísmo pretende identificar Deus com o mundo e isso nós não podemos permitir. Não é certo confundir Deus com o mundo.
O Panteísmo emanatista é a forma mais comum de dizer que Deus não se distingue do mundo(Enéadas – Plotino do Século III quem começou a propagar esta teoria). Um filósofo do séc. XVII chamado Spinoza fala sobre as manifestações dessa substancia. O panteísmo vai contra a experiência qualquer que seja a sua forma. Identificando o perfeito que é Deus com o imperfeito que são as coisas e o mundo. Também para contra-argumentar o Panteísmo é preciso afirmar a simplicidade de Deus. Ele é um ser simplíssimo...
A criação é um grande mistério que existe antes de qualquer produção, é uma criação a partir do nada. “Productio totius rei ex nihilo sui et subjecti”. O que é tirar uma coisa do nada? Não sei. Aqui nós nos atiramos sob a onipotência de Deus. Criar do nada não significa o nada produzido, portanto o nada é nada, sem nenhuma matéria, sem participação alguma. A lógica do mistério, a lógica do incompreensível. A produção do nada do ser de uma coisa, isso é a criação. Deus criou o mundo! A teoria do Big-Bein, essa explosão que os físicos teorizaram e que é meio fajuta intelectualmente e filosoficamente. Daí, surge a pergunta, o que é que explodiu? Obviamente foi algo já criado materialmente, então não se explicou a criação. A criação é coisa anterior. “Deus criou na criação poderes seminais, que podem evoluir”(Agostinho de Hipona). Não poderia haver evolução sem criação divina.
Nenhum filósofo grego teorizou explicitamente sobre o tema da criação, mas Aristóteles com a teoria do Ato e da Potência implicitamente argumentou sobre o assunto. O mundo é contingente. Se o mundo é contingente ele não pode existir desde sempre. Então, não há outra saída senão dizer que Deus criou o mundo. Daí, provamos a criação do mundo por Deus. O infinito não é nunca criado porque só Deus é eterno e infinito. Que o mundo foi criado por Deus desde a eternidade pode ser possível, mas não podemos demonstrar.
No entanto, se nos detivermos nas Escrituras, Deus criou o mundo no tempo... Gênesis. Abramos este tão admirável livro. Mas, filosoficamente não podemos dizer que Deus criou o mundo desde sempre ou no tempo, porque isto é impossível saber, compreender. Agora, uma coisa podemos dizer e sustentar, que Deus criou tudo livremente, com liberdade de contradição. Ele criou ou não criou. Ele criou porque quis. Deus, livremente e não necessariamente, criou o mundo!
Deus não está obrigado a criar sempre o melhor. “Video meliora, proboque; deteriora sequor” – “Vejo as coisas melhores, e as aprovo; sigo as coisas piores”(Horácio, poeta grego). Nessa mesma direção, Leibniz também falou algo a respeito. Como é maravilhosa a visão de Deus em Leibniz, a não ser algumas bobagens que tenha dito, mesmo sendo um sujeito muito inteligente.
Segundo Leibniz, uma vez criado o mundo a conservação é uma coisa continuada. É a manutenção de cada coisa no seu ser. As coisas criadas não têm que existir continuadamente por inércia, mas Deus continua a comunicar-me a existência. Nunca um ser criado pode manter-se por si mesmo, nunca pode ser por si mesmo. É impossível que as criaturas, uma vez produzidas, tenham a manutenção “per si” de sua própria existência.
O que é o concurso? Deus concorre e não me obriga a ser livre. Essa espécie de empurrão no homem é como uma intervenção de Deus, causa primeira nas causas segundas. As criaturas precisam de Deus para atuar, para agir. Há duas espécies de concurso: o prévio e o simultâneo. Aqui, deve-se o cuidado para não cair num determinismo absoluto.




Jackislandy Meira de M. Silva,
Professor e Filósofo.
Confiram:
www.umasreflexoes.blogspot.com
www.chegadootempo.blogspot.com



Postagens populares

Atividade no facebook

Categorias

Deus (36) Bíblia (26) Filosofia (26) Jesus (25) Cultura (16) Teologia (16) sociologia (15) Religião (11) vida (11) Cristo (10) Educação (10) política (10) ética (10) Senhor (9) evangelho (9) (8) valores (8) Igreja (6) amor (6) florânia (6) justiça (6) oração (6) salvação (6) louvor (5) paz (5) cristão (4) esperança (4) evangelização (4) graça (4) palavra (4) Espírito (3) alegrias (3) alteridade (3) cidadania (3) culto (3) espiritualidade (3) glória (3) literatura (3) música (3) responsabilidade (3) Aristóteles (2) Lévinas (2) Moisés (2) Paulo (2) Platão (2) Pr. Silas (2) Tv (2) bom (2) comunhão (2) coração (2) criador (2) céu (2) encontro (2) felicidade (2) história (2) ideologia (2) jovens (2) mocidade (2) mundo (2) natureza (2) poder (2) político (2) rosto (2) sociedade (2) solidariedade (2) templo (2) trabalho (2) verdade (2) voz (2) Aurélio (1) Boaz (1) Chile (1) Dalila (1) Davi (1) Drummond (1) Escritura (1) Faraó (1) Habacuc (1) Haiti (1) Heidegger (1) Jaboque (1) Jacó (1) Jerusalém (1) Jonas (1) José (1) Juízes (1) Kant (1) Lutero (1) Mircea (1) Misericórdia (1) Médico (1) Nietzsche (1) Perdão (1) Record (1) Reino (1) Rute (1) Sansão (1) Trindade (1) administração (1) adorador (1) alma (1) altíssimo (1) amizades (1) anjo (1) centenário (1) cidadão (1) conversão (1) corrupção (1) crente (1) criança (1) cruz (1) cruzada (1) denominação (1) desabrigados (1) dissimulação (1) drogas (1) dízimo (1) escudo (1) exaltar (1) família (1) favor (1) fogo (1) fome (1) futebol (1) gestão (1) gratuita (1) homem (1) impunidade (1) individual (1) inteligência (1) jornalismo (1) lugar (1) luta (1) luz (1) mina (1) mineiros (1) mistério (1) mito (1) ordem (1) outro (1) participação (1) pecado (1) pedofilia (1) pedra liza (1) perseverança (1) presença (1) promessa (1) próximo (1) pão (1) quebrantado (1) razão (1) reflexão (1) rios (1) salmo (1) salvador (1) saúde (1) ser (1) serenidade (1) sexo (1) sim (1) subjetividade (1) sucos (1) uvas (1) vaidade (1) violência (1) vitória (1) água (1)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ao mencionar qualquer material deste blog, favor citar o autor Jackislandy Meira de Medeiros Silva. Tecnologia do Blogger.